Pesquisadores desenvolvem equipamento para monitorar desempenho de nadadores

Alunos e professores da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) desenvolveram um equipamento para monitorar o condicionamento físico de nadadores, o Ghost Swimmer. Através de LEDs impermeáveis, que aumentam progressivamente a velocidade a cada piscina nadada, é possível avaliar dados importantes para o desempenho de nadadores, como a frequência cardíaca, a percepção subjetiva de esforço, frequência de braçadas e velocidade média. O equipamento também permite prescrever séries de treinamento envolvendo repetição, distância, tempo de execução e intervalo de descanso entre as repetições.

As pesquisas são desenvolvidas no Laboratório de Avaliação do Desempenho Aquático (LADA) da Faculdade de Educação Física da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (FAEF/UERN). De acordo com o coordenador do projeto, professor Adalberto Veronese, a ideia surgiu a partir do monitoramento realizado em outro esporte. “Esse equipamento foi inspirado no Teste de Pista da Universidade de Montreal criado em 1980, onde o desempenho dos corredores é avaliado após sucessivas progressões na intensidade do teste através de sinais sonoros. E nós vimos que seria interessante também fazer a avaliação dos nadadores”, explica.

O Laboratório está vinculado à Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PROPEG) e fica localizado no parque aquático do Campus Central. Hoje, professores, alunos da graduação e da pós-graduação da UERN, além de alunos do Ensino Médio das escolas públicas que participam de projetos de iniciação científica ou de iniciação tecnológica, utilizam o espaço para a realização de pesquisas.

Adalberto Veronese, Liebson Henrique e Thiago Alefy

O Ghost Swimmer foi o primeiro invento criado no LADA. O primeiro protótipo, no entanto, não foi viável, já que contava com apenas 25 leds e utilizava mil metros de fio. “Tínhamos o desafio de trabalhar com eletricidade dentro d’água, o que era muito arriscado”, justifica Liebson Henrique, aluno do mestrado em saúde e sociedade da UERN, e bolsista de mestrado.

A inviabilidade do primeiro protótipo não desanimou os pesquisadores, que intensificaram os estudos e produziram um novo protótipo, que utilizava 125 leds e tinha como fonte de energia baterias portáteis, como as power bank de 5 volts, utilizadas para carregar celulares.

O estudo apresentou recentemente a nova versão do Ghost Swimmer, que proporciona mais versatilidade. Assim como na versão anterior, o equipamento é alimentado por power bank, no entanto, com capacidade de 12 volts e 250 leds. O modelo industrial desta versão está sendo elaborado e a expectativa é de que até o meio do ano já esteja sendo comercializada, já havendo empresa interessada em adquirir o produto.

O equipamento possui patente no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI), obtida através da UERN.

Para os estudantes envolvidos no projeto, este é o primeiro passo para uma carreira acadêmica. Participam do projeto o mestrando do Programa de Pós-Graduação em Saúde e Sociedade, Liebson Henrique; o aluno do sétimo período do bacharelado em Educação Física, Jonathan Sadrack, e o aluno do oitavo período de Ciência da Computação, Thiago Alefy.

Fotos: Rodrigo Oliveira

Mais informações sobre o LADA podem ser obtidas AQUI.